O Diagrama de Ishikawa, também conhecido como Espinha de Peixe ou Diagrama de Causa e Efeito, é uma ferramenta amplamente utilizada para análise de processos que facilita a identificação das causas raízes de um problema. Nesse sentido, método permite organizar visualmente todas as possíveis causas de um problema, categorizando-as em grupos principais e criando um padrão que se assemelha às espinhas de um peixe. 

Assim, o  uso desse diagrama é bastante popular nas mais diversas áreas, como a alimentícia, farmacêutica e de manufatura, sendo empregada para melhorar a qualidade dos processos e produtos, por aumentar significativamente a eficiência dos processos e reduzir o tempo necessário para a resolução de problemas, dos mais básicos aos mais complexos, destacando sua importância e eficácia. 

O que é o Diagrama de Ishikawa?

De forma simplificada, o Diagrama de Ishikawa é, basicamente, uma ferramenta de análise de processos desenvolvida para identificar as causas raízes de um determinado problema ou efeito. Amplamente utilizado na melhoria de processos e na resolução de problemas, ele ajuda as equipes a visualizar e categorizar de maneira estruturada todas as possíveis causas que contribuem para um problema central, facilitando a compreensão das relações entre diferentes causas potenciais e o problema, promovendo uma análise mais abrangente e eficaz. 

O diagrama recebe esse nome por sua estrutura, que se assemelha a uma espinha de peixe, onde a “cabeça” representa o problema a ser resolvido e as “espinhas” correspondem às categorias de causas potenciais. Dessa forma, essa categorização permite que as equipes investiguem cada área de forma sistemática, identificando as causas específicas e implementando ações corretivas apropriadas a cada caso. 

Ferramentas de Gestão e Qualidade

Qual o objetivo do Diagrama de Ishikawa?

O objetivo principal aqui é compreender as razões subjacentes a um problema, em vez de apenas tratar os sintomas ou efeitos superficiais. Assim, focando na causa raiz, é possível implementar soluções que resolvam o problema de maneira eficaz e sustentável, prevenindo sua recorrência no futuro. Além disso, sua eficácia se dá não apenas para identificar problemas, mas também para analisar processos que levam a bons resultados, promovendo uma melhoria contínua e a qualidade em diversos setores. 

Para que serve o Diagrama de Ishikawa?

A ferramenta é versátil e usada principalmente para identificar as causas raízes de problemas ou efeitos específicos, permitindo que as equipes analisem as possíveis causas de um problema de forma sistemática e colaborativa, o que facilita a rápida identificação das causas potenciais. Essa abordagem colaborativa não só promove um entendimento mais profundo do problema, mas também acaba fortalecendo o trabalho em equipe e a comunicação dentro da organização. Devido ao mapeamento visual de todas as possíveis causas, o diagrama ajuda a evitar soluções superficiais e temporárias, focando nas questões fundamentais que, quando resolvidas, previnem a recorrência do problema. 

Além de ser altamente eficaz para a resolução de problemas, também usam o Diagrama de Ishikawa para melhorar a eficiência dos processos e identificar oportunidades de melhoria. Ao detalhar o nível de compreensão do problema com suas múltiplas ramificações, o diagrama revela o grau de profundidade da análise realizada pela equipe. Essa visualização detalhada é crucial para desenvolver soluções eficazes e sustentáveis a longo prazo, sendo também útil na gestão de projetos e na gestão de riscos, tornando-se uma ferramenta indispensável para qualquer organização que busca aprimorar continuamente seus métodos e resultados. 

 As etapas do Diagrama de Ishikawa:

01 – Definição do Problema (Efeito):

A primeira etapa na criação do Diagrama de Ishikawa é identificar claramente o problema que você deseja resolver. Este problema, ou efeito, deve ser escrito de forma clara e concisa no cabeçalho do diagrama, geralmente na extremidade direita de um grande retângulo ou “cabeça de peixe”. Certifique-se de que todos os membros da equipe concordem com a definição do problema, garantindo uma compreensão comum e um ponto de partida claro para a análise. 

02 – Desenhe a Espinha Principal:

Em seguida, desenhe uma linha horizontal da esquerda para a direita, conduzindo ao retângulo que contém o problema definido. Esta linha representa a espinha dorsal do peixe e serve como a linha do tempo ou fluxo do processo que leva ao problema. Esta espinha principal é o eixo central do diagrama, a partir do qual todas as categorias de causas e sub-causas serão ramificadas. 

03 – Identifique as Principais Categorias de Causas:

Depois de desenhar a espinha principal, determine as principais categorias de causas que podem contribuir para o problema. Em muitos casos, estas são classificadas como os “6 Ms“: Método, Máquinas, Materiais, Mão de obra, Medição e Meio ambiente. Essas categorias servem como um ponto de partida comum, mas podem variar conforme o setor. Em serviços, podem ser utilizados os 8 Ps (Produto, Preço, Praça, Promoção, Pessoas, Processos, Provas físicas, Produtividade). O mais importante é escolher categorias que façam sentido para o problema específico e ajudem a equipe a pensar de forma abrangente sobre todas as possíveis causas. 

04 – Brainstorm de Causas Específicas:

Para cada categoria principal, realize um brainstorm com a equipe para identificar causas específicas que possam estar contribuindo para o problema. A adição dessas causas deve ser como “espinhas menores” saindo das linhas das categorias principais. Encoraje a equipe a pensar em todas as possíveis causas, sem julgamento inicial, promovendo um ambiente de brainstorming produtivo e inclusivo. 

05 – Análise do Motivo:

Para cada causa identificada, aplique o método dos 5 Porquês, perguntando repetidamente “Por quê?” isso acontece. Isso pode levar a causas mais profundas, que devem ser adicionadas ao diagrama como sub-ramificações. Continue perguntando “Por quê?” até que não seja mais possível identificar causas adicionais. Esta técnica ajuda a chegar à causa raiz do problema, proporcionando uma compreensão mais profunda e detalhada. 

Leia também: A metodologia dos 5 porquês: o que é e como aplicar essa técnica

06 – Identifique as Causas Raízes:

Revise todas as causas identificadas e determine quais são as mais prováveis causas raízes do problema. Estas são as causas que, se resolvidas, teriam o maior impacto na prevenção ou na eliminação do problema. A identificação precisa das causas raízes é crucial para o desenvolvimento de soluções eficazes e duradouras. 

07 – Priorize as Ações:

Com base nas causas raízes identificadas, priorize as ações corretivas que devem ser tomadas. Nem todas as causas podem ser abordadas de uma vez, então escolha aquelas que oferecem o maior benefício em termos de impacto no problema e viabilidade de implementação. Desenvolva um plano de ação detalhado para abordar as causas raízes, incluindo responsáveis por cada ação, prazos e métricas de sucesso. Essa priorização ajuda a focar os esforços nos aspectos mais críticos, garantindo uma abordagem eficiente e estruturada para a resolução de problemas. 

Como fazer o Diagrama de Ishikawa?

  • Para montar o Diagrama de Ishikawa, comece escrevendo o problema no cabeçalho do diagrama, representando a cabeça do peixe;
  • Em seguida, desenhe a espinha dorsal, que conecta as categorias principais.
  • Liste os 6Ms e, através de sessões de brainstorming em equipe, discuta e adicione as possíveis causas sob cada categoria.

É essencial realizar a análise de forma colaborativa para considerar diferentes perspectivas e garantir uma compreensão abrangente do problema. Assim, esta abordagem não só facilita a identificação de causas raízes, mas também promove o engajamento e a cooperação entre os membros da equipe, tornando o processo de resolução de problemas mais eficaz e inclusivo. 

Quando Utilizar o Diagrama de Ishikawa? 

O Diagrama de Ishikawa pode ser utilizado sempre que houver um problema nos processos de um projeto, permitindo uma discussão estruturada com base nas suas regras. Nesse sentido, este método não se restringe a processos industriais e pode ser aplicado em projetos pessoais, metas empresariais ou em contextos educacionais.

Para isso, basta identificar um problema ou efeito e analisar cada uma das categorias conhecidas como os 6Ms: Método, Máquinas, Materiais, Mão de obra, Medição e Meio ambiente, para encontrar as causas potenciais. Dessa forma, a flexibilidade do diagrama permite a adaptação a qualquer situação onde a análise de causas é necessária. 

  • Método: O conjunto de processos da organizacional, junto aos procedimentos escolhidos para a execução das tarefas da empresa;
  • Máquinas: Apesar do nome sugerir um ambiente industrial, as máquinas no Diagrama de Ishikawa são os materiais usados pela empresa para que ela possa desempenhar suas funções;
  • Materiais: São todos os itens que complementam o uso das máquinas. No caso de uma indústria propriamente dita, poderia corresponder às embalagens que guardam os produtos finais, por exemplo;
  • Mão de obra: Todos os colaboradores envolvidos nas execuções dos processos empresariais. Nesse sentido,fazendo a análise pro Diagrama, é importante considerar o nível desses colaboradores, o plano de carreira e a forma como eles executam suas funções;
  • Medição: Todas as métricas de desempenho, KPIs, e coletas para monitoramento de resultados;
  • Meio ambiente: O meio ambiente é todo o contexto da empresa. Além do clima e do ambiente organizacional, o tópico de meio ambiente também considera análises de mercado, por exemplo.

Benefícios e vantagens em usar o Diagrama de Ishikawa

  • Melhor Visibilidade dos Problemas: O Diagrama de Ishikawa proporciona uma visualização clara dos problemas que a empresa irá enfrentar. Isso acaba facilitando a identificação e a análise dos mesmos. 
  • Identificação Ágil e Assertiva das Causas: Permite a identificação rápida e precisa das possíveis causas dos problemas, agilizando o processo de resolução. 
  • Hierarquização e Priorização das Causas: Ajuda a hierarquizar e priorizar as causas encontradas, permitindo um foco mais eficaz nas ações corretivas. 
  • Registro Visual Intuitivo: Fornece um registro visual intuitivo que facilita futuras análises e revisões dos problemas e suas causas. 
  • Aperfeiçoamento dos Processos: Contribui para o aperfeiçoamento contínuo dos processos, promovendo a melhoria da qualidade e eficiência operacional. 
  • Exploração dos Desdobramentos do Problema: Permite a exploração detalhada dos desdobramentos do problema dentro da empresa, identificando todas as áreas impactadas. 
  • Envolvimento da Equipe na Gestão da Qualidade: Incentiva o envolvimento de toda a equipe na gestão da qualidade e na melhoria dos processos, promovendo um ambiente colaborativo. 
  • Organização das Ideias do Grupo: Facilita a organização das ideias do grupo, proporcionando foco e objetividade durante as discussões e análises. 
  • Uso em Conjunto com Outras Metodologias: Pode ser utilizado em conjunto com outras metodologias, como o brainstorming, potencializando os resultados e a eficiência dos encontros. 

Assim, o Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta essencial para qualquer organização comprometida com a excelência e a melhoria contínuas. Sua aplicação promove um entendimento profundo dos problemas e suas causas, engajando a equipe em soluções eficazes e sustentáveis. Além disso, ao integrar essa metodologia em seus processos, as empresas fortalecem sua capacidade de inovar e resolver desafios de forma colaborativa e eficiente. Dessa forma, elas garantem um caminho sólido para o sucesso a longo prazo. 

 

posts relacionados