Minimizar os impactos negativos a fim de preservar o meio ambiente e garantir a saúde pública é sobre isso que vamos falar neste artigo, Sustentabilidade e a indústria farmacêutica.

Pode-se dizer que esse é um, se não o principal, pilar da relação entre a sustentabilidade e a indústria farmacêutica. Mas afinal, qual é o papel desse setor e a sua importância nesse processo?

Primeiro de tudo, precisamos entender o panorama sobre esse cenário. Isso porque a indústria farmacêutica é considerada uma das mais importantes da economia mundial. Toda a sua cadeia gera impactos financeiros, sociais e ambientais.

Embora isso não seja muito discutido, um dado que muitas pessoas não têm o conhecimento é que esse setor engloba a lista das 10 indústrias mais poluidoras do planeta.

Diante disso, tem se tornado cada vez mais necessário a adoção de políticas ambientais no ramo farmacêutico a fim de reverter esse quadro. Gostaria de saber mais sobre o assunto? Continue lendo esse artigo!

Sustentabilidade e a indústria farmacêutica

Impactos ambientais gerados pela indústria farmacêutica

A Indústria farmacêutica foi uma das que tiveram maior crescimento em 2020. Isso acende um alerta para a importância de o setor estar alinhado com as políticas sustentáveis, de modo que esse processo ocorra sem gerar grandes impactos negativos ao meio ambiente.

Para compreendermos esse contexto melhor, precisamos saber como são classificados os resíduos gerados por esse segmento.

Isso inclui etapas como: devolução e recolhimento de medicamentos obsoletos no mercado, descarte de tudo que não passou pelo controle de qualidade, perdas inerentes e embalagens que transportam os insumos para a sua fabricação.

Segundo a NBR 10.004/04, a maior parte desses rejeitos é classificada como Classe I, também conhecida como perigosos. Isso significa que esses resíduos contêm substâncias inflamáveis, corrosivas e reativas em suas composições capazes de contaminar o solo, o ar e a água.

Estudos alertam sobre os riscos

Vários estudos no mundo vêm alertando sobre os impactos da indústria farmacêutica. Um deles é o desenvolvido por pesquisadores da Universidade McMaster, no Canadá.

Alguns dados valem ser destacados. Um deles é o nível de emissão de gases poluentes na atmosfera, como o dióxido de carbono. A cada US$1 milhão, é liberado o equivalente a 48,55 toneladas de CO2e.

Isso significa que o ramo farmacêutico é mais poluente do que outros, como o automotivo, por exemplo (55% a mais).

Outro problema é em relação à contaminação de recursos hídricos. Pesquisadores da Universidade de York, no Reino Unido, já identificaram a presença de antibióticos em rios.

Além disso, análises feitas em vários países, dentre eles, da América do Sul, comprovaram a presença de resíduos farmacêuticos, alguns patógenos super-resistentes, principalmente no entorno das fábricas de medicamentos.

Pode-se dizer que esses resultados são bastante preocupantes.

Isso significa a demanda de altos investimentos em soluções para reverter esse problema e também a necessidade de regulamentações mais rigorosas.

É preciso uma verdadeira mudança de cenário 

A indústria, de modo geral, tem cada vez mais buscado alternativas sustentáveis para minimizar os efeitos colaterais e impactos negativos no meio ambiente causados pelo modelo de economia linear implantando desde a Revolução Industrial.

Por isso, é fundamental que o desenvolvimento proporcionado pelas indústrias seja pautado na criação de políticas de sustentabilidade ambiental.

Seja incentivando a reciclagem de resíduos, a reutilização da água e racionamento de energia na rotina de produção, ou investindo no uso consciente de matéria-prima, como é o caso das marcas que adotam o modelo de Economia Circular.

O que é Economia circular ?

De acordo com o Portal da Indústria, economia circular é:

Economia circular é um conceito que associa desenvolvimento econômico a um melhor uso de recursos naturais, por meio de novos modelos de negócios e da otimização nos processos de fabricação com menor dependência de matéria-prima virgem, priorizando insumos mais duráveis, recicláveis e renováveis.

A economia circular baseia-se em repensar a forma de desenhar, produzir e comercializar produtos para garantir o uso e a recuperação inteligente dos recursos naturais.

Trata-se de um aperfeiçoamento do sistema econômico atual, que visa um novo relacionamento com os recursos naturais e a sua utilização pela sociedade.

É uma proposta de adição e retenção de valor dos recursos, e regeneração do meio ambiente, que busca produzir sem esgotar os recursos naturais, e sem poluir o meio ambiente, consequentemente, preservando o nosso planeta.

Sustentabilidade e a indústria farmacêutica

Sustentabilidade e a indústria farmacêutica: soluções 

Por que a sustentabilidade é tão importante? Tendo em vista os riscos que a produção de medicamentos representa, reduzir esses danos ambientais é mais do que uma obrigação, é uma questão de sobrevivência.

Embora seja de responsabilidade da indústria farmacêutica minimizar esses poluentes, o esforço precisa ser global. Isso significa que o poder público, os fornecedores e a sociedade também precisam fazer a sua parte. Veja, a seguir, algumas soluções:

1- Descarte de resíduos perigosos

Uma das medidas que a indústria farmacêutica deve adotar para garantir um crescimento sustentável é encontrar maneiras de fazer o descarte correto de resíduos perigosos.

Esse investimento requer, primeiro de tudo, pesquisas criteriosas para identificar quais são os melhores tratamentos, conforme os critérios legais.

É importante salientar que existem vários tipos de destinação de resíduos. Alguns deles podem beneficiar também outros setores industriais, que fazem o reuso desses itens obsoletos.

Um dos principais é o coprocessamento. Essa técnica é bastante sustentável por ser considerada uma das mais corretas e seguras.

Ela constitui na queima desses resíduos farmacêuticos (tanto sólidos, quanto pastosos), que são eliminados e utilizados como combustível substituto pela indústria cimenteira nos fornos para a fabricação de cimento.

Sendo assim, é uma forma de dar uma destinação adequada e, ao mesmo tempo, poupar o uso de mais recursos em processos produtivos.

2- Logística reversa

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, cabe a indústria farmacêutica (fabricantes) se responsabilizar pela gestão de seus resíduos, embora algumas situações dependam de coparticipação de outros agentes.

Uma solução que vem sendo estudada é a logística reversa, que faz parte das diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS –Lei nº 12.305/2010).

Medicamentos vencidos costumam ser descartados no lixo convencional ou através do despejo nas redes de esgoto das casas. Através da logística reversa, esses remédios, que tem alto poder poluente, acabam retornando para as empresas, que terão o compromisso de fazer a destinação correta.

Para envolver a sociedade, seria necessário criar pontos de coletas, que podem ser instalados nas farmácias, para que seja feito o descarte dos remédios vencidos.

3- Tenha um plano de gerenciamento

Quando pensamos em sustentabilidade e a indústria farmacêutica, é importante que os fabricantes tenham um plano de gerenciamento. Esse planejamento será fundamental para a adesão de estratégias para mitigar os impactos ambientais.

Esse plano deverá considerar algumas etapas:

4- Uso eficiente da água

A produção industrial exige um alto consumo de água. Ela é utilizada para a fabricação de medicamentos, limpeza e higienização nas fábricas, dentro outros.

Uma maneira de reduzir esse desperdício é reutilizando a água. Isso poderá ser feito de várias formas, como, por exemplo, nos processos de destilação com a implementação de sistemas de reaproveitamento.

Os mesmos cuidados valem para a emissão de efluentes. Todos os dejetos deverão ser descartados apenas depois de tratados, respeitando as legislações, a fim de evitar a contaminação de recursos hídricos.

5- Prefira materiais reciclados

Tão importante quanto reciclar é optar por matérias-primas recicladas.

Por mais simples que pareça, ao utilizar materiais que passaram pelo processo de reciclagem a indústria contribui para a continuidade do processo de economia circular, que transforma as possibilidades nos meios de produção.

Estude a possibilidade de firmar parceria com fornecedores com responsabilidade ambiental e que ofereçam materiais provenientes de reciclagem.

Sustentabilidade: certificações ambientais

Com o mercado cada vez mais competitivo, as empresas do ramo farmacêutico estão cada vez mais pressionadas para adotarem medidas sustentáveis.

De certa maneira, isso acaba sendo vantajoso para elas. Quando se atende aos requisitos, a empresa recebe certificações. Veja algumas por exemplo:

ISO 14.001 – um dos principais certificados. Essa norma tem como objetivo principal fazer com que as empresas adotem medidas eficazes para garantir a preservação ambiental e a segurança da saúde pública.

NBR ISO 16.001 – voltada para as questões de responsabilidade social da empresa. Ela estabelece requisitos mínimos para que o sistema de gestão adote políticas e objetivos respeitando os compromissos éticos e de cidadania além do desenvolvimento sustentável.

ISO 26.000 – essa norma é destinada para temas de sustentabilidade empresarial. Ela faz algumas recomendações sobre procedimentos e padrões que deverão ser adotados na implementação de programas de sustentabilidade.

Rótulo Ecológico da ABNT – essa certificado ambiental se aplica a qualquer setor industrial. Leva em consideração o ciclo de vida do produto, em sua extração, fabricação, distribuição, utilização e descarte.

Como conseguir as certificações?

Como em toda certificação a empresa auditada tem que seguir padrões e estar atento as exigências que cada certificação exige.

Montamos um passo a passo básico para que você entenda um pouco melhor esse processo.

O primeiro passo para obter a certificação ambiental é entender qual o certificado que se encaixa em seu nicho de negócio.

Depois é preciso se familiarizar com as regras e procedimentos exigidos.

Neste passo, é necessário contratar o Organismo de Certificação e obter as informações sobre auditorias de certificação.

Além de adequar seus processos de acordo com os requisitos da norma de certificação.

No terceiro passo é necessário realizar uma pré-auditoria para avaliar o grau de preparação da empresa para o processo final.

No quarto passo ocorre a auditoria de certificação.

Lembrando que cada certificação possui suas particularidades, portanto atente-se a isso antes de dar os primeiros passos.

É extremamente importante esse planejamento para evitar as temidas não conformidades.

Benefícios

Infelizmente muitas empresas ainda possuem o pensamento atrasado e não dão a devida importância para assuntos que foram falados durante este texto.

As empresas que conseguem a sustentabilidade como fator estratégico nos negócios se beneficiam como por exemplo:

A tecnologia como aliada na Sustentabilidade e a indústria farmacêutica

Todos os processos evoluíram e as aprovações também. Em outras palavras, neste artigo listamos vários pontos favoráveis que comprovam que a evolução não vai desacelerar.

Pelo contrário, a tendência é que com temas tão em alta como sustentabilidade ações que antes eram do cotidiano sejam substituídas por formas que não agridam o meio ambiente.

Uma gestão da qualidade automatizada consegue ser um diferencial para qualquer empresa, pois ela “qualifica” todos os demais processos, otimizando com a melhoria contínua.

Uma boa ferramenta, com o propósito de de melhoria pode trazer grandes benefícios, otimizar as auditorias, conseguir a certificação nas normas vigentes e facilitar o dia a dia com muita tecnologia.

Diante disso, podemos chegar à conclusão de que a Sustentabilidade e a indústria farmacêutica é uma tendência global.

Para se adequar, é importante que a empresa esteja regularizada e atendendo as leis e regulamentos exigidos pelo governo federal, estadual e municipal.

Não sabe como fazer isso? Não se preocupe!

O Docnix pode te ajudar a se tornar sustentável e obter essas e outras certificações.

Possuímos uma suíte completa com módulos que vão atender as principais necessidades e exigências para a implementação de normas ou para melhorar a eficiência de seus processos.

Você pode contar com nossos profissionais que vivem na prática as rotinas das normas e certificações nacionais e internacionais.

Além de estar em constante evolução com treinamentos desde a implementação do sistema a boas práticas a serem adotadas para que assim todos os envolvidos estejam em sincronia.

Afinal, a gestão da qualidade assim como tudo o que engloba esse assunto tem que partir de todos, do mais alto cargo ao mais “simples”.

Gostaria de saber mais sobre o assunto e descobrir qual a melhor solução para a sua necessidade? Entre em contato conosco e faça uma demonstração!

Jorge Pimenta

Copywriter, Coordenador de Marketing e Comunicação, em busca de um Brasil com mais qualidade #P1BMQ.

21.10.2021 | Auditoria | economia verde | indústria farmacêutica | ODS | ONU | Riscos, GRC, ESG | SSMA - EHSM

posts relacionados