4 pontos para uma Gestão de Risco eficaz

Por 30 de maio de 2018junho 15th, 2020Gestão da Qualidade, Melhoria Contínua
4 pontos para uma gestão de risco eficaz

Embora pareça um termo recente no meio empresarial, a gestão de riscos corporativos é utilizada há tempos, tendo sua definição mais precisa e expansiva nascido no final do século XX, quando houve o aumento e o estabelecimento das comunicações unificadas entres companhias (em um sentido mais globalizado) fixando a complexidade das ações empreendedoras. Separamos 4 pontos para uma gestão de risco eficaz que ajudará você a aplicá-los no dia a dia.

Como todo o empreendimento transita por estágios evolutivos e com a finalidade de agregar valor para os participantes interessados, algumas decisões acabam por ser necessárias, tanto para firmar a estrutura quanto o desenvolvimento de uma corporação. Durante esse processo de estruturação e crescimento percebe-se que, da mesma forma como investimentos são necessários, perdas podem ser inevitáveis.

Nesse contexto, para que os riscos sejam classificados de forma mais adequada, viu-se a necessidade da implementação de uma gestão de riscos nesses espaços corporativos para que se tenha o controle sobre essas “incertezas” incidentes de aplicações e investimentos.

Elaborando os 4 pontos para uma gestão de riscos eficaz

Dentre os processos estratégicos, temos a necessidade de considerar 4 pontos para uma gestão de risco eficaz, que são a base para a solidificação dessa estrutura e eficácia. Temos então:

Identificação

Sabe-se que uma organização possui objetivos a serem concretizados e estratégias são imprescindíveis para que os interesses da corporação sejam alcançados com êxito. Para tanto, se faz necessário uma identificação qualitativa e quantitativa dos riscos internos e externos passíveis nos diversos setores empresariais.

Uma boa forma de identificação desses riscos, é através da elaboração de uma matriz onde aponta-se as influências internas (relacionadas especificamente à corporação) e as influências externas (relacionada à questões globais do meio externo) que podem afetar tanto fisicamente quanto financeiramente a instituição.

Análise

Após a identificação dos riscos, é preciso determinar o grau de exposição da corporação a essas “incertezas” que rondam o empreendimento. Para isso, são analisados alguns fatores atuantes nessas possíveis ocorrências, que deverão classificar essas exposições como “aceitáveis” ou “não aceitáveis”. Fixa-se portanto, no ponto de vista que nem todos os riscos são prejudiciais para a estrutura física e financeira de uma empresa. Um investimento, por exemplo, é um risco que pode trazer benefícios quando bem estruturado.

Planejamento

Com a análise sobre os riscos expostos pela corporação, é possível montar um planejamento estratégico de como tratar e evitar perdas e desgastes nos diversos setores de uma empresa. Esse planejamento deve agregar financeiramente às partes interessadas, assim como manter o foco no objetivo da corporação em sua essência empreendedora.

Monitoramento

Passamos para a etapa final e contínua que é o controle sobre os riscos identificados. A gestão corporativa deve manter o monitoramento sobre as estratégias que estão sendo desenvolvidas na corporação e na autenticidade dessa prática. Somente dessa forma e seguindo essas etapas, será possível uma gestão de riscos desenvolvida com maior eficácia.

Vale lembrar que perdas são inevitáveis em qualquer setor financeiro, mas com uma gestão responsável e bem estruturada é possível que se tenha um controle mais preciso e sólido de todos os riscos, assim como a oportunidade de tratá-los e preveni-los.

A gestão de riscos e o avanço tecnológico

Quando falamos em gestão de riscos corporativos, agregaremos a temática para o avanço tecnológico que está presente em todas as áreas de atuação e não seria diferente com a gestão de estratégias de uma empresa. Temos atualmente, alguns desenvolvedores de software de gestão de riscos que proporcionam uma qualidade mais precisa sobre as necessidades estratégicas de um empreendimento. Esses programas, possuem a capacidade de identificar, analisar, planejar e monitorar os riscos aos quais uma empresa está exposta auxiliando, desta forma, na gestão corporativa.

Encontramos no mercado da tecnologia, plataformas que atendem aos diferentes ramos de atuação para a gestão de riscos de uma empresa, identificando prováveis problemas através das informações inseridas, criando estratégias e planejamentos para solucionar todas as eventualidades e encontrar as soluções necessárias para que o empreendimento não seja afetado com perdas e desgastes tanto física quanto financeiramente.


A seguir, três pontos tecnológicos cruciais e suas especificações que podem esclarecer com maior precisão a importância de se agregar a tecnologia nos processos empresariais como facilitador de atividades.

Gestão de Riscos Organizacionais

Um dos módulos oferecidos pelo Software de Gestão da Qualidade Docnix e que apresenta uma performance que pode ser utilizada pelos diversos setores empresariais e áreas de atuações distintas. É através dos dados apresentados que realiza uma identificação inicial dos riscos presentes na corporação, cruza essas informações para uma análise mais detalhada onde será possível acompanhar a definição de objetivos, identificação de eventos, avaliação dos riscos, obter a resposta aos riscos e, logo em seguida as atividades de controle geram a informação necessária para que o monitoramento seja acompanhado de forma eficiente.

PGRisco (Projeto de Gestão de Risco)

Alinhada com a ISO 31000, é uma plataforma gerenciadora de riscos com acesso intuitivo e prático. Atende organizações de todos os segmentos, avaliando os riscos internos e externos através das informações fornecidas no sistema de automação. Esse programa oferece ao usuário a possibilidade de identificar a força motriz capaz de agir por eventualidades, identificar o grau de exposição e sua importância, assim como avaliar as incertezas dos riscos identificados.

SE Risk

Apresenta uma estrutura mais completa com informações detalhadas e fluxogramas para um melhor controle de informações. Possibilita a visão dos riscos nos mais variados cenários, aponta os indicadores, analisa as incidências e monitora os resultados finais.

Ainda outras possibilidades de softwares de gestão de risco estão sendo desenvolvidas e aperfeiçoadas para um melhor atendimento das necessidades corporativas. A tecnologia está em constante movimento, ampliando as extensões para todas as áreas de atuação, e chega agregando conhecimentos e facilidades de acesso a todos os recursos que contribuem para o desempenho evolutivo de um empreendimento.

Para que se tenha sucesso corporativo, basta que se coloque em prática todos os 4 pontos para uma gestão de risco eficaz apresentados, mantendo sempre o cuidado e atenção com as necessidades e demandas da sua empresa. Nesse contexto de desenvolvimento, a utilização de ferramentas de automação, também chegam nesse processo como um princípio de praticidade para as ações estratégicas e de logística no ramo empresarial.