HAZOP: investigando os riscos

HAZOP

O trabalho que uma organização tem na Gestão de Riscos pode ser comparada a de um detetive. A diferença é que esta atua de forma que irá prevenir ‘o crime’. Portanto, investigar minuciosamente os riscos, descobrir as causas primárias e secundárias e definir medidas de controle, prevenção e correção estão presentes no dia-a-dia da equipe de gerenciamento de riscos. O HAZOP é um método indutivo qualitativo que oferece os mecanismos necessários para desempenhar essas atividades e, aliado a outras ferramentas, pode ser ainda mais eficaz.

O que é o HAZOP?

HAZOP é a abreviação de Hazard and Operability Studies, traduzido para o português, Estudo de Perigo e Operabilidade. O objetivo central do método é identificar os perigos e riscos de um sistema ou projeto, investigando cada etapa dos processos detalhadamente. Em síntese, essa metodologia é baseada em uma estrutura sistemática de perguntas geradas por combinações de palavra-guias.

Abaixo, temos alguns conceitos básicos para entender o método:

Nós: pontos específicos ou variáveis do projeto que serão analisados. Eles são definidos através do fluxograma do sistema.

Parâmetros: componente da intenção de operação. São as variáveis físicas do processo e procedimentos operacionais.

Palavra-guia: palavras utilizadas para qualificar os desvios da intenção de operação, além de estimular a equipe em um “brainstorming”. São aplicadas a cada parâmetro de processo em cada nó de estudo. Essa junção leva a equipe levantar questões sobre o que ocorreria, ou seja, os possíveis cenários. Abaixo temos um quadro das palavras-guias mais utilizadas:

Palavra-guia  e seus significados HAZOP
Fonte: De Cicco; Fantazzini, 2003

Desvios: afastamentos da intenção de operação.

A combinação chave da metodologia do HAZOP, para entender o processo é:

Parâmetro + Palavra-Guia = Desvio

Veja, no quadro abaixo temos exemplos da correlação dos parâmetros de processo com as palavras guias que resultam em desvios. Dessa forma, eles serão aplicados no estudo de cada nó. Os parâmetros variam da natureza de cada sistema ou projeto.

Relação dos Termos metodologia HAZOP
Fonte: De Cicco; Fantazzini, 2003

Como aplicar?

O HAZOP é indicado para aplicar em fases iniciais de projetos, ou seja, na criação e instalação de novos sistemas. No entanto, a sua aplicabilidade se estende para todo o ciclo de vida de um projeto, podendo ser utilizado em revisões para uma melhoria contínua.

Para realizar o HAZOP, é necessário ter uma equipe capacitada que conheça bem o sistema. Antes de realizar a reunião para o estudo e definição do HAZOP na organização, é ideal que todos os envolvidos estejam preparados e conheçam o método, isso fará com que o processo ocorra com mais fluidez.

Outro ponto importante: Como material de entrada, o fluxograma, diagrama ou P&ID do sistema é indispensável. Através dele serão identificados os nós de estudos que serão analisados de forma detalhada. Em cada um deles serão aplicados os parâmetros junto as palavras-guias.

Com os nós e parâmetros definidos, é só aplicar a metodologia. Os desvios serão identificados, as consequências e, assim, serão avaliados os métodos de detecção e controle.

PASSO a PASSO

O procedimento para execução do HAZOP pode ser sintetizado nos seguintes passos, ilustrados no fluxograma abaixo:

fluxograma do procedimento HAZOP - passo a passo
Fonte: “Webinar | Entendendo o HAZOP – o estudo de perigos e operabilidade” YouTube video, postado por SoftExpert Software, 25 set. 2019. <https://www.youtube.com/watch?v=qnocXFpnZdk>

Esse modelo permite que seja feita uma análise detalhada de cada ponto crítico do processo que necessita ser controlado.

Um outro ponto, inclusive já utilizado, é que método HAZOP pode ser aplicado junto com a APR. Pois, ter uma matriz de riscos definida faz toda a diferença para execução da gestão de risco. As duas ferramentas podem ser usadas em conjunto. Ou seja, o uso de ambas não são excludentes.

Abaixo, temos o exemplo de como pode ser montada a planilha do método HAZOP:

Quais os benefícios do HAZOP?

O HAZOP é indicado para sistemas que possuem limites e parâmetros de operação identificáveis. Pois, quando se tem limites e parâmetros definidos será possível atingir os seguintes benefícios:

  • Checar itens de segurança de um projeto;
  • melhorar a segurança de uma planta existente;
  • checar a segurança dos procedimentos de operação de um processo;
  • verificar funcionamento de instrumentos;
  • Decidir o local de uma unidade industrial;
  • Desenvolver uma lista de checagem de pontos críticos;
  • Segurança dos colaboradores, equipamentos, planta, pública;
  • impactos ambientais e evitar perda de produção.

Sendo assim, com essa metodologia é possível identificar todos os desvios do processo e o que pode dar errado no projeto. Portanto, o HAZOP consegue identificar perigos existentes em um projeto, como:

  • Falhas mecânicas e operacionais
  • Falhas no processo
  • Erro de projeto
  • Sabotagem
  • Falha humana

Atenção! Muitas pessoas acreditam que essa metodologia serve apenas para sistemas industriais ou elétricos, mas ele pode ser aplicada a qualquer tipo de sistema ou projeto.


Em resumo, a técnica HAZOP é ideal para fazer uma análise detalha dos possíveis desvios que podem vir a correr em um sistema. Além, dessas metodologias, existem softwares que automatizam esse processo de Gestão de Risco como o DocRisk. Ao invés de aplicar a gestão de forma manual e com inúmeras planilhas, o software fica responsável por calcular e gerir os possíveis riscos internos e externos da sua organização.

Mas, se você ainda não sabe o que são as ferramentas para Gestão de Riscos ou tem dúvida de qual deve escolher para o seu negócio? leia o artigo Ferramentas para a Gestão de Riscos.

%d blogueiros gostam disto: