Você já se deparou com situações em que processos ou produtos não atenderam os padrões de qualidade propostos? Para lidar com essas ocorrências, é essencial contar com um instrumento: o Relatório de Não Conformidades. 

Neste artigo, vamos explorar a importância desse documento, como ele é utilizado e quais são as etapas para sua elaboração.

O Que é um Relatório de Não Conformidades?

O Relatório de Não Conformidades é um documento que registra todas as ocorrências identificadas dentro de uma organização que estão em desacordo com as normas, procedimentos ou requisitos exigidos. 

Essas não conformidades podem ocorrer em diferentes áreas, como processos de produção, atendimento ao cliente, gestão de qualidade, entre outras.

Esse relatório desempenha um papel fundamental na gestão da qualidade, uma vez que permite o registro e acompanhamento sistemático das não conformidades. 

Ele é a base para a implementação de ações corretivas eficazes, visando solucionar os problemas identificados e prevenir sua ocorrência.

Etapa 1: Identificação da Não Conformidade

A primeira etapa para elaborar um Relatório de Não Conformidades é identificar e descrever detalhadamente a não conformidade em questão. 

Isso envolve a coleta de informações relevantes, como a natureza do problema, o local onde ocorreu, a data e a hora, as pessoas envolvidas e quaisquer outros dados pertinentes.

É importante ser específico e objetivo na descrição, destacando claramente o que não está de acordo com as normas ou padrões estabelecidos. 

Quanto mais detalhada for uma identificação da não conformidade, mais eficaz serão as ações corretivas subsequentes.

Etapa 2: Análise e Investigação

Após a identificação, a próxima etapa é realizar uma análise aprofundada da não conformidade. Isso envolve investigar as possíveis causas raiz do problema e avaliar seu impacto nos processos, produtos ou serviços da organização.

A análise pode exigir a aplicação de técnicas e ferramentas específicas, como o diagrama de Ishikawa (espinha de peixe ), o diagrama de Pareto, a análise de 5 porquês, entre outras. 

Essas ferramentas auxiliam na identificação das causas subjacentes e ajudam a direcionar as ações corretivas de maneira mais eficiente.

Etapa 3: Ações Corretivas e Preventivas

A etapa seguinte consiste na definição e implementação de ações corretivas e preventivas. Com base na análise realizada, é necessário estabelecer medidas para solucionar o problema identificado e evitar sua recorrência no futuro.

As ações corretivas devem ser direcionadas para tratar as causas raiz da não conformidade, corrigindo o problema em si. 

Já as ações preventivas visam eliminar as possíveis fontes de não conformidades, efetivamente os processos e sistemas existentes.

É fundamental que as ações sejam claramente descritas, com prazos definidos e responsáveis designados. 

Além disso, é importante monitorar e verificar a eficácia das ações integradas, garantindo que elas tenham o impacto desejado.

Etapa 4: Registro e Arquivamento

A última etapa do processo é o registro e arquivamento adequado do Relatório de Não Conformidades. Esse documento deve ser mantido de forma organizada e acessível, possibilitando consultas futuras e servindo como referência para análises de tendências e identificação de áreas de melhoria contínua.

É importante ressaltar que a utilização de um sistema de gestão da qualidade O acompanhamento pode facilitar o processo de registro, análise e acompanhamento das não conformidades, proporcionando maior agilidade e eficiência.

Exemplo de Relatório de Não Conformidades: Atraso na Entrega de Pedidos

No contexto de uma empresa de comércio eletrônico chamada MegaDoc, surge uma situação recorrente de atraso na entrega de pedidos. Vamos ver como um exemplo simples de Relatório de Não Conformidade pode ser usado para lidar com essa questão:

Identificação da Não Conformidade

No dia 10 de maio de 2023, foi constatado que diversos pedidos realizados pelos clientes apresentaram atrasos na entrega. O prazo de entrega estipulado era de 3 dias úteis, porém, alguns pedidos foram entregues com até 7 dias de atraso.

Análise e Investigação

Após a identificação da não conformidade, uma análise foi realizada para identificar as causas desse atraso. Foi constatado que as principais causas eram problemas logísticos e falta de comunicação eficiente entre os setores de estoque e expedição.

Ações Corretivas e Preventivas

Com base na análise realizada, algumas ações foram definidas e implementadas para solucionar o problema e evitar futuros atrasos na entrega de pedidos:

  • Melhoria do sistema de gestão de estoque, com atualização em tempo real das informações de disponibilidade de produtos.
  • Aprimoramento da comunicação entre os setores de estoque e expedição, estabelecendo um fluxo claro de informações sobre pedidos prontos para envio.
  • Contratação de pessoal adicional na equipe de expedição para lidar com o aumento da demanda.

Registro e Arquivamento

O Relatório de Não Conformidades foi registrado e arquivado controlado, com todas as informações relevantes sobre a ocorrência, análise e ações corretivas realizadas. Ele ficará disponível para futuras consultas e análises de desempenho.

Após a implementação dessas ações, a empresa MegaDoc observou uma redução significativa nos atrasos na entrega de pedidos, ocorrido em maior satisfação dos clientes e fortalecimento da recepção da marca.

Esse exemplo ilustra como um Relatório de Não Conformidades pode ser aplicado de maneira simples para solucionar problemas específicos dentro de uma organização. 

Através da identificação clara das não conformidades, análise aprofundada, implementação de ações corretivas e registro adequado, as empresas podem melhorar seus processos e garantir a conformidade com as expectativas dos clientes.

(Exemplo prático de relatório de não conformidades)

Conclusão

O Relatório de Não Conformidades desempenha um papel essencial na gestão da qualidade, permitindo uma identificação, análise e solução de problemas que impactam a conformidade dos processos e produtos de uma organização.

Ao adotar uma abordagem sistemática para lidar com o não compliance, as empresas podem melhorar continuamente seus processos, garantir o compliance com as normas e requisitos exigidos, e fornecer produtos e serviços de maior qualidade aos clientes.

Ao implementar o Relatório de Não Conformidades como parte integrante do sistema de gestão da qualidade, as organizações estão dando um passo importante em direção à excelência operacional e à busca contínua pela satisfação do cliente.

Por hoje é só, até a próxima! 

P.S: Leia mais sobre ferramentas da qualidade clicando aqui

Daniel Alves Pereira

Publicitário com experiência em redação, copywriting e otimização para mecanismos de busca (SEO).

Ver mais conteúdos de Daniel Alves Pereira

posts relacionados