A Economia verde para negócios do futuro tem se mostrado como uma grande aliada em direção de um futuro mais sustentável e ecologicamente correto, frente ao rápido avanço das mudanças climáticas e o aumento exponencial do aquecimento global.

Atualmente já não há como esconder-se de notícias relacionadas à degradação do meio ambiente, sejam elas falando do aumento da poluição em centros industriais e urbanos, ou do desmatamento da Amazônia.

E acima de tudo não há como esconder-se das consequências da ação humana sobre o meio ambiente.

Todavia, o tema não está livre de críticas: o conceito já foi considerado anteriormente como uma “falsa solução”.

O principal argumento dessa crítica é que não se deve atribuir valores econômicos aos recursos naturais, como as árvores, fauna, água e ar.

Ao atribuir valor em dinheiro aos bens naturais – visto o termo “economia verde”.

É possível fazer operações de compensação ambiental, ou seja, ao destruir uma área ou recurso natural, seria possível compensar por outras áreas ou recursos.

Dessa forma, os críticos não consideram isso razoável, pois encaram como a fomentação de um novo mercado onde os processos e produtos fornecidos pela natureza seriam a mercadoria.

E foi numa ostensiva busca de melhor orientar essas ações que o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) cunhou, em 2008, a Iniciativa Economia Verde.

Mas o que isso significa, realmente?

Neste artigo, você vai entender melhor o conceito, práticas, críticas e tudo o que engloba essa delicada questão, que sem dúvidas merece total atenção por todos.

O que é economia verde?

A Pnuma conceitua, em seu site oficial, a economia verde como um modelo econômico alternativo ao atual modelo econômico dominante, o qual, segundo os mesmos:

“exacerba as desigualdades, incentiva o desperdício, desencadeia escassez de recursos e gera ameaças ao meio ambiente e a saúde humana”.

Ou seja, não se trata só de propostas de mudanças no modo de produção, mas sim em toda uma estrutura social.

Tornando-a mais sustentável, mais inclusiva, com um melhor rendimento na utilização de matérias primas e recursos e que resulte numa melhor qualidade de vida à população humana em coexistência saudável com os demais seres vivos e com o meio ambiente como um todo.

O modelo econômico dominante, não o seria, se não fosse global, geopolítico.

Sendo assim, para alterá-lo é imprescindível, internacionalmente, a união entre os países. para isso:

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) tem movido esforços internacionais para o desenvolvimento do chamado:

Crescimento Verde e Desenvolvimento Sustentável, no qual investe em estudos e ações voltados à Energia Verde, Transporte Verde, Agricultura Sustentável, entre outras.

Mas também é imprescindível uma ação nacional voltada para o desenvolvimento de uma economia verde interna, com uma participação ativa do estado com políticas públicas, como, por exemplo:

uma política fiscal que imponha maiores impostos para as empresas com maiores taxas de emissão de gases poluentes, ou então investindo em subsídios para tecnologias sustentáveis.

Economia verde para negócios do futuro

Impacto da economia verde nas empresas

Tendo em vista o que já foi dito, é com propriedade que dizemos, se a sua empresa ainda não participa desta jornada em direção à sustentabilidade e economia verde, tenha certeza que você está perdendo tempo e dinheiro,

Afinal, não são só as organizações mundiais que têm se preocupado com o meio ambiente, o seu consumidor também.

Os clientes compram com gosto quando veem que uma empresa veste a camisa da sustentabilidade, uma empresa ecologicamente correta é motivo de orgulho para todos, consumidores e colaboradores.

O ecodesenvolvimento, termo que é sinônimo da economia verde,

Tem aliando-se ao campo empresarial numa gigante tentativa de frear e combater a ostensiva perda da biodiversidade.

Ampliando a eficiência energética, a geração de empregos, o máximo aproveitamento dos recursos naturais e a consciente gestão de resíduos, com incentivos a modelos de produção alternativos como, por exemplo, a economia circular.

Percebe-se então que tornar-se uma empresa verde está pautado em três pontos principais e que devem estar integrados:

O ambiental, o social e o econômico e, que em conjunto, beneficiam ao mesmo tempo o planeta, as pessoas e a sua empresa.

Por isso que a economia verde deve ser uma das preocupações principais de qualquer empresa antenada às tendências e que, cujos colaboradores, não a queiram obsoleta em menos de dez anos.

Ser uma empresa que se mostra realmente comprometida com o meio ambiente é garantia de durabilidade, dinamismo, competitividade e lucratividade a longo prazo.

E é por esse motivo que nós trouxemos até você, algumas dicas para tornar o caminho rumo à sustentabilidade mais fácil e lucrativo.

Desenvolvimento Sustentável

Desenvolvimento sustentável é o conjunto dos processos direcionados para suprir as necessidades das sociedades do presente, sem comprometer as necessidades das futuras gerações.

É o desenvolvimento que não esgota os recursos produtivos para o futuro.

O elevado consumo e desperdício de matérias-primas vem destruindo e esgotando os recursos naturais da Terra.

Esse modelo de desenvolvimento econômico vem sendo repensado e pouco a pouco sendo substituído por outro que leva em consideração:

A questão do: meio ambiente, dos recursos naturais e a solução das injustiças sociais do planeta.

O aumento da industrialização e do consumo significam o aumento no consumo de energia, de matérias primas e consequentemente de resíduos, resultando, assim, em maior poluição.

Toneladas de gases poluentes são lançados na atmosfera, resultando na destruição da camada de ozônio, no efeito estufa, nas chuvas ácidas, nos desequilíbrios climáticos, etc.

Os principais são o dióxido de carbono, o monóxido de o carbono, o metano, o óxido nitroso e óxido de nitrogênio.

No entanto a poluição é um problema político-econômico. Reduzi-la significa fazer uso de práticas sustentáveis.

Um ponto básico para as mudanças é fazer uso de energia limpa, seja ela, hidráulica, solar, eólica, de biomassa etc., o que reduziria a emissão de gases poluentes.

Como aplicar a economia verde na minha empresa?

Sendo transparente sobre a sua produção

Seu cliente precisa saber que pode confiar naquilo que você produz, uma das formas de garantir isso é mostrando a ele que a sua empresa se preocupa com o meio ambiente ao longo de toda sua cadeia produtiva.

A longo prazo a transparência sobre a sua produção cria uma duradoura relação de confiança com o seu público.

Para o Governo brasileiro, a economia verde deve ser inclusiva, é preciso considerar igualmente os setores econômico, social e ambiental. Para o Ministro da Ciência e Tecnologia Marco Antônio Raupp,

“A economia verde deve promover a geração de empregos, a inovação tecnológica, a ciência, a inclusão social e a conservação dos recursos naturais, e não ser utilizada como pretexto para a imposição. Para nós, essa questão de inclusão social e crescimento é fundamental”.

Ainda segundo o ministro, o potencial de biodiversidade, os avanços sociais e a matriz energética brasileira permitem ao Brasil uma transição rápida e segura para a economia verde inclusiva.

Adotando a documentação eletrônica

É impossível ser e se mostrar realmente preocupado com sustentabilidade quando a sua empresa adota um modelo completamente obsoleto para armazenagem de suas documentações, a “papelada”.

Adotar a documentação eletrônica, de uma só vez, ajuda a reduzir drasticamente o uso de papel.

Aumentar a segurança de documentos importantes e confidenciais, economizar espaço de arquivamento e agilizar o processo de busca e manejo de informações.

Dando uma olhada na sua estrutura física

Muitas vezes o maior empecilho em tornar-se uma empresa verdadeiramente sustentável está na sua infraestrutura.

Independentemente dos motivos, pode acabar causando um grande desperdício de recursos naturais que, lembremo-nos, não são baratos.

Revisar instalações de água e energia elétrica.

Substituir lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de led.

Pintar paredes de branco para uma melhor distribuição da luz, podem gerar uma economia gigantesca pro planeta e para você.

Com uma melhor gestão de resíduos

Além de estimular a separação dos resíduos físicos pelos seus materiais, que aliás é uma ação que não se reduz a instalação de lixeiras seletivas, é preciso buscar e criar parcerias com empresas e cooperativas de reciclagem.

Criando vínculos com empresa que também adotam um caráter sustentável

Estas perguntas podem parecer por demais simples, mas o perfil atual de consumidor mostra que é muito provável que o seu cliente se pergunte essas coisas antes de comprar seus produtos.

Benefícios da Economia verde para negócios do futuro

O conceito de economia verde não substitui o conceito de desenvolvimento sustentável.

Porém, atualmente existe um crescente reconhecimento de que a realização da sustentabilidade se baseia quase que inteiramente em conseguir o modelo certo de economia.

Mesmo que a sustentabilidade seja um objetivo a longo prazo, é necessário que a nossa economia se torne mais verde para que consigamos atingir esse objetivo.

Para que essa economia se torne real, são necessários investimentos públicos e privados, tecnologias, políticas públicas, programas governamentais e práticas de mercado voltadas para:

• Melhora dos processos produtivos; 
• Aumento da eficiência com diminuição no uso dos recursos naturais; 
• Diminuição das emissões de gases do efeito estufa; 
• Transformação de resíduos de um processo em insumos de outros; 
• Proteção dos mananciais, uso responsável da água, universalização do saneamento básico; 
• Ampliação de fontes de energia limpas e renováveis; 
• Recuperação e preservação dos ecossistemas; 
• Atenuar os efeitos da mudança do clima.

Críticas à Economia verde para negócios do futuro

Muitas críticas são tecidas ao tema, por organizações e movimentos sociais, que consideram a economia verde como uma falsa solução que tem a forma de um capitalismo verde.

Atrás de uma fachada técnica, o relatório da economia verde inclui:

Aceitação de carbono, água e biodiversidade sejam passíveis de apropriação e negociação por contrato e que se constituam em novas cadeias globais de commodities.

A principal crítica feita à economia verde gira em torno dessa questão e a negação da possibilidade de se atribuir valores monetários a bens naturais.

As críticas à ideia de valoração do meio ambiente com mecanismos tradicionais consideram a economia verde um outro nome para o chamado ambientalismo de mercado.

Quando os bens naturais são valorados em dinheiro é possível fazer operações de compensação ambiental em que uma área natural ou recursos naturais destruídos.

Podem ser compensados por outras áreas e recursos, como o caso das Cotas de Reserva Ambiental (CRA).

Os críticos não consideram isso razoável, pois seria impossível comparar com precisão o valor natural de um local com o valor natural de outro.

Esse mecanismo é encarado como a fomentação de um novo mercado, onde os processos e produtos fornecidos pela natureza são mercadoria.

Seja a purificação da água e do ar, a geração de nutrientes do solo para a agricultura, a polinização, o fornecimento de insumos para a biotecnologia, entre outros.

Essas críticas colocam em dúvida a eficiência da economia verde em relação à conservação ambiental, e no que diz respeito à inclusão social.

Conclusão sobre a Economia verde para negócios do futuro

A Economia Verde é um caminho para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda de 2030, definida em 2015, uma vez que alguns dos pilares da Agenda são sobre:

Além disso, esse processo de transformação através da sustentabilidade é extremamente importante para que os países estejam preparados para enfrentar os maiores desafios do século XXI.

Como por exemplo, a urbanização crescente, a escassez de recursos, as mudanças climáticas e a volatilidade econômica.

Esperamos que este artigo tenha, tem ajudado a pensar melhor sobre a questão sustentável e a economia verde.

Por mais que ainda haja muitos tabus em volta deste assunto, é mais que urgente que comecemos a discuti-los e aplicá-los, afinal o planeta é um só e cada vez mais nós, a humanidade, o testamos ao limite.

Com este pensamento, te convidamos a refletir sobre a importância deste tema e o que você tem feito para este movimento.

Nós do DOCNIX estamos sempre dispostos a ajudar nossos clientes a encontrar as melhores soluções para os seus problemas, caso tenha dúvidas, acesse a nossa página de demonstrações e nos relate os seus problemas que nossa equipe, com certeza, saberá a melhor forma de orientá-lo.

Nossa missão é Por Um Brasil com Mais Qualidade #P1BMQ.

Em nosso Blog, você vai encontrar vários artigos que com certeza vão acrescentar em seus conhecimentos, fique à vontade.

Até breve.

Jorge Pimenta

Copywriter, Coordenador de Marketing e Comunicação, em busca de um Brasil com mais qualidade #P1BMQ.

22.09.2021 | Documentos e Registros | economia verde | Estratégia e Pessoas | Melhoria Contínua | Não categorizado | Riscos, GRC, ESG | Sistemas de Gestão e Normas

posts relacionados