A busca por resultados expressivos e excelência na gestão é uma jornada constante para as empresas que almejam se destacar em seus mercados de atuação. Nesse contexto, o Modelo de Excelência em Gestão (MEG) é uma referência fundamental para as organizações que buscam aprimorar suas práticas e processos, se destacando como uma ferramenta ampla e estruturada, projetada para orientar as empresas na busca por aprimoramento constante e excelência em seus resultados operacionais e estratégicos. Adotar o MEG proporciona às empresas a chance de estabelecer uma gestão mais sólida e eficaz, fundamentada em princípios e critérios internacionalmente reconhecidos. Esses critérios abrangem desde a liderança e estratégia até os processos operacionais e o foco no cliente.

O MEG incentiva empresas a promover inovação, eficiência e sustentabilidade, especialmente na gestão, que influencia todos os setores. Essa abordagem proporciona uma estrutura robusta para definir metas, monitorar desempenho e tomar decisões estratégicas, capacitando as empresas a alcançar maior competitividade e sucesso a longo prazo. O MEG é um guia valioso para organizações em busca de excelência em diversas áreas de atuação.

O que é o Modelo de Excelência em Gestão (MEG)

Desenvolvido, em meados da década de 90, por meio de colaboração entre organizações de diversos países, o Modelo de Excelência em Gestão (MEG), representado pela Fundação Nacional da Qualidade – FNQ, constitui um fator substancial para o desenvolvimento e aprimoramento da gestão empresarial. Essa abordagem, que se destaca por sua flexibilidade e versatilidade, possibilita que cada organização a adapte conforme suas necessidades e prioridades específicas. Isso contribui de maneira significativa para a profissionalização e competitividade da empresa no mercado, em meio à evolução tecnológica e constante transformação digital.

O MEG vai além de uma metodologia simples, orientando organizações em todas as áreas, desde o planejamento estratégico até a gestão de pessoas e processos. Ele busca não apenas eficiência operacional e alcance de metas, mas também promove inovação, sustentabilidade e compromisso ético para garantir o sucesso a longo prazo.

Além disso, ao fomentar uma cultura de gestão mais eficaz e sustentável; enfatizar a importância da Gestão da Qualidade, abordando aspectos como planejamento estratégico, gestão de riscos, gestão de pessoas, gestão de processos e ética; e promover a melhoria contínua por meio dos 8 fundamentos da excelência, o MEG tem sido uma ferramenta valiosa para organizações que buscam se destacar em um mercado exigente e dinâmico.

Curso ISO 9001

Os 8 fundamentos do Modelo de Excelência em Gestão (MEG)

Pensamento Sistêmico/Sistemático:

Fundamento que orienta as organizações a enxergarem além das partes individuais e compreenderem o todo, de forma integrada. Em essência, isso significa reconhecer as interconexões e interdependências entre pessoas, departamentos, processos e produtos dentro da empresa. Ao adotar o pensamento sistêmico, as organizações são capazes de alinhar essas interdependências tanto internamente quanto externamente, orientando assim suas tomadas de decisão de maneira mais abrangente e eficaz.

Compromisso com as partes interessadas:

Engloba todos os indivíduos e grupos envolvidos com a organização, os stakeholders, desde clientes e fornecedores até colaboradores e comunidade local. Envolve identificar e priorizar essas partes relevantes, compreender suas necessidades e estabelecer uma comunicação eficaz para atendê-las. Tratar as manifestações dessas partes interessadas de forma adequada é fundamental para fortalecer os relacionamentos e garantir o sucesso da organização.

Aprendizado organizacional e inovação:

Requer que a empresa esteja constantemente em busca de aperfeiçoamento e conhecimento, elevando suas competências, suprindo suas necessidades e criando um ambiente propício à criatividade. A inovação não apenas impulsiona a competitividade no mercado, mas também promove uma cultura organizacional dinâmica e adaptativa, enquanto o aprendizado contínuo garante a sustentabilidade desse processo de evolução.

Adaptabilidade:

Significa a capacidade de reconhecer possibilidades e demandas por mudança, mas também exige uma prontidão intrínseca para se ajustar às transformações do ambiente externo. É como se a instituição desenvolvesse uma espécie de “mecanismo de adaptação”, permitindo-lhe não apenas sobreviver, mas prosperar em meio às constantes mudanças no mercado e das novas demandas dos clientes.

Liderança transformadora:

Molda a identidade e a visão de futuro da organização, promovendo inovação, adaptação às mudanças do mercado e desenvolvendo novos líderes. Garante, assim, a continuidade do sucesso organizacional a longo prazo além de simplesmente guiar equipes rumo a metas estabelecidas.

Desenvolvimento sustentável:

Transcendendo a mera consciência ambiental, esse fundamento abrange também os aspectos econômico-financeiro e social da organização. Ao adotar uma abordagem baseada no tripé da, as empresas se comprometem a se atentar não apenas às suas próprias necessidades, mas também às das gerações futuras. Um planejamento estratégico abrange não apenas os lucros financeiros, mas também considera o impacto ambiental e o bem-estar social, assegurando um crescimento verdadeiramente sustentável e sustentado. Isso implica em ações voltadas para a sustentabilidade e o equilíbrio entre os aspectos econômicos, ambientais e sociais.

Leia também: Sustentabilidade – Guia completo e prático

Orientação por processos:

Preconiza a clareza e visibilidade no gerenciamento de processos e na trajetória de geração de valor, destacando a importância de investir em recursos e sistemas que garantam a eficácia e eficiência, remodelando a estratégia quando necessário.

Geração de valor:

A empresa não apenas oferece produtos e serviços, mas também estrutura um modelo de negócios sólido e busca constantemente resultados que agregam valor em todas as esferas. Isso não se limita apenas ao aspecto econômico, mas se estende também ao impacto social e ambiental positivo.

Como funciona e como implementar o Modelo de Excelência em Gestão (MEG)

O funcionamento do Modelo de Excelência em Gestão (MEG) baseia-se na implementação dos fundamentos na rotina na empresa e a capacitação e no desenvolvimento dos colaboradores, assegurando que possam desempenhar suas funções da melhor maneira possível em suas respectivas áreas de atuação. O modelo oferece orientação e suporte, produzindo excelentes resultados ao estabelecer uma base sólida para orientar as ações da empresa. Esses fundamentos servem como parâmetro e diretriz, possibilitando crescimento organizacional e operacional.

A flexibilidade do MEG permite que seja adaptado conforme especificidades de cada organização. Essa personalização é fundamentada em análises e conclusões derivadas de dados coletados ao longo do tempo, o que cria conexões entre os diferentes fundamentos, assegurando que cada aspecto do MEG, de forma interconectada, esteja alinhado e contribua para resultados efetivos e tangíveis.

A implantação da ferramenta envolve a incorporação dos “fundamentos da excelência” nos processos e estruturas organizacionais, seguindo o que se compreende como Ciclo PDCL (plan, do, check e learn), uma adaptação do Ciclo PDCA. O modelo fornece informações e ferramentas para que empresas alcancem seus objetivos, embora não forneça um guia específico ou rígido para a implantação.

Assim, dada a natureza abrangente e transformadora dos princípios do MEG, é recomendado que a implementação seja gradual e faseada, priorizando as áreas de maior impacto e adaptando-se às necessidades e realidades específicas de cada setor, fase e organização. Para tal, uma leitura cuidadosa e aplicação da ISO 9004 podem complementar a estrutura e resultados proporcionados pelo MEG.

Benefícios e vantagens do Modelo de Excelência em Gestão (MEG)

É nítido que a adoção do Modelo de Excelência em Gestão oferece uma série de vantagens para as empresas que optam por implementá-lo, pois, ao adotar o modelo e seus 8 fundamentos, as organizações passam a cultivar uma cultura de excelência, impulsionando a busca contínua pela melhoria e inovação em todos os aspectos do negócio.

Alguns dos benefícios tangíveis da implementação do MEG incluem:

Estímulo à competitividade saudável e sustentabilidade:

Proporciona um ambiente propício para aprimorar a competitividade da empresa no mercado, ao mesmo tempo em que promove a sustentabilidade, alinhando as práticas comerciais com as necessidades ambientais e sociais.

Criação de um referencial a ser seguido:

Ao seguir as diretrizes propostas pelo modelo, a empresa se torna um modelo de boas práticas, ganhando reconhecimento e credibilidade no setor.

Fomento ao aprendizado organizacional:

É incentivada a troca de conhecimento e experiências entre os diferentes setores da empresa, promovendo um ambiente de aprendizado contínuo e colaborativo.

Melhoria da comunicação gerencial:

Facilita uma comunicação mais eficaz entre a gestão e os colaboradores, garantindo que todos estejam alinhados com os objetivos e metas estabelecidos.

Avaliação e melhoria contínuas:

Entram em cena ferramentas e metodologias para avaliar o desempenho da organização e identificar áreas de melhoria, promovendo uma cultura de aperfeiçoamento constante.

Mensuração objetiva do grau de maturidade da gestão:

É possível avaliar de forma objetiva o nível de maturidade de sua gestão em diferentes áreas, identificando pontos fortes e oportunidades de crescimento.

Incorpora a cultura da excelência:

Internalização de uma cultura organizacional pautada pela busca incessante pela excelência em todas as áreas de atuação. Isso implica em estabelecer padrões elevados de desempenho, promover a inovação constante e cultivar um ambiente que valorize a qualidade, a eficiência e a melhoria contínua.

Contribui no desenvolvimento dos colaboradores:

Incentiva investimento no desenvolvimento pessoal e profissional de seus colaboradores. Através de programas de capacitação, feedbacks regulares e oportunidades de crescimento, o modelo contribui para o aprimoramento das habilidades e competências dos funcionários, aumentando sua motivação, engajamento e produtividade.

Leia também: Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas – T&D do Futuro

Permite o treinamento de líderes:

Esse modelo cria um ambiente propício para treinar e desenvolver líderes em todos os níveis hierárquicos da organização. Ele os prepara para enfrentar desafios, tomar decisões estratégicas e promover uma cultura de alto desempenho.

Estimula o desempenho financeiro:

A eficiência operacional, a inovação e a satisfação do cliente aqui promovidas têm um impacto direto no desempenho financeiro da empresa. A melhoria dos processos, a redução de custos, o aumento da qualidade dos produtos e serviços e a conquista de uma maior fatia de mercado são alguns dos resultados que contribuem para o crescimento e a sustentabilidade financeira da organização.

Resultados mensurados objetivamente:

Capacidade de fornecer resultados mensuráveis e objetivos sobre o desempenho da empresa. Através de indicadores de desempenho específicos, metas claras e sistemas de avaliação, as organizações podem acompanhar de perto o progresso em direção aos objetivos estratégicos e identificar áreas de melhoria de forma precisa e assertiva.

Destaca a importância da integração e alinhamento do sistema:

A integração e alinhamento de todos os processos, departamentos e áreas da organização são enfatizados como cruciais para atingir os objetivos estratégicos. Todas as partes interessadas devem colaborar de forma coordenada, compartilhando informações, recursos e conhecimentos para assegurar uma operação eficiente e coesa.

Por fim, é imprescindível reconhecer que sua implementação transcende a mera adoção de práticas organizacionais; é uma jornada de transformação rumo à excelência. O MEG não é apenas um conjunto de diretrizes a serem seguidas, mas sim um convite para uma mudança de mentalidade, uma mudança que permeia cada aspecto da cultura corporativa, cada tomada de decisão e cada interação entre colaboradores. Abrimos as portas para uma era de possibilidades, onde a inovação floresce, o desempenho atinge patamares inéditos, e a empresa inspira o mercado.

É uma jornada repleta de desafios e recompensas, em que cada conquista alcançada leva para mais perto da visão de uma empresa verdadeiramente excelente. Portanto, ao embarcar nessa jornada, é preciso mais que apenas implementar o MEG, mas abraçar sua filosofia, integrá-la ao cerne da organização e permitir que ela seja guia em direção a um futuro de sucesso e prosperidade sustentável.

posts relacionados